Quando recorrer a uma clínica de tratamento capilar?

Quando recorrer a uma clínica de tratamento capilar?

A queda de cabelos é um problema recorrente e incômodo para muitos homens e mulheres em fase adulta. Seja por fatores genéticos ou por outras razões mais contornáveis, diversas pessoas acabam buscando ajuda em uma clínica de tratamento capilar quando se deparam com este problema tão desagradável.

 

Ver os próprios cabelos caindo e enxergar regiões falhas na cavidade capilar são problemas que afetam diretamente a autoestima de pacientes. No entanto, é preciso entender quando é necessário procurar por uma clínica de tratamento capilar e buscar lá tratamentos para a queda de cabelos.

 

Quando a clínica de tratamento capilar pode me ajudar?

Em primeiro lugar, é necessário entender quais são os principais fatores que provocam a queda de cabelos. Existe um fator mais grave, que é a herança genética. Neste caso, os pacientes registram a calvície masculina e a feminina, e precisam de fato recorrerem à ajuda de uma clínica de tratamento capilar.

 

Em outras situações, os cabelos podem cair em decorrência de problemas como:

  • Estresse;
  • Má alimentação;
  • Problemas hormonais;
  • Danos provocados por pranchas alisadoras e secadores;
  • Doenças autoimunes;
  • Anemia;
  • Uso de determinados medicamentos.

 

Em exames médicos de rotina, é possível detectar tais problemas e até mesmo combatê-los de maneira simples, para isso mantenha a rotina de fazer o acompanhamento médico, conte com um plano de saúde para isso . Mas a depender do estágio do avanço da queda dos fios, é preciso buscar a ajuda de uma clínica de tratamento capilar.

 

Os diferentes tipos de tratamento existentes

Existem soluções mais simples e cotidianas que podem ser ofertadas para pacientes em uma clínica de tratamento capilar. O médico responsável irá avaliar o caso e, se julgar necessário, poderá orientar o uso de fármacos, como o Minoxidil (mais comum para homens) ou a Flutamida (mais indicado para mulheres).

 

O consumo de Finasterida também é bastante comum e bem-sucedido no controle da queda capilar, mas também só deve ser consumido sob prescrição médica. O uso de qualquer fármaco sem acompanhamento médico pode ser prejudicial e causar efeitos colaterais.

 

Em outros casos, o médico também pode recorrer a tratamentos de transplante de cabelos. Através dessa metodologia, que consiste em remover fios de uma área saudável do crânio, e transferir para a região afetada pela calvície, pode ser aplicada em duas distintas técnicas: FUT e FUE.

 

A FUT é o tratamento mais barato e mais rápido. Ela consiste em remover uma faixa de couro cabeludo da parte posterior da cabeça e das laterais, de modo a usar folículos capilares não atingidos pela queda de cabelo. Sua recuperação tende a ser um pouco dolorida, além de deixar uma cicatriz no couro cabeludo.

 

Já no caso da FUE, o resultado obtido é muito natural. Isso se deve pelo fato de os folículos capilares serem removidos, um a um, da região doadora. Os dois tipos de tratamento levam cerca de quatro meses para mostrarem seus resultados: o nascimento dos novos fios. O acompanhamento pós-cirurgia deve ser feito em 12 meses.

 

Seja qual for o causador da queda de cabelos, é importante buscar uma clínica de tratamento capilar para entender sua real necessidade. Ouça sempre a orientação de seu médico, que saberá escolher o melhor tipo de procedimento para que você recupere a força nas suas madeixas.