O que é remissão no plano de saúde

O que é remissão no plano de saúde

A remissão no plano de saúde é o período que os dependentes de um titular de um convênio podem continuar usufruindo dele sem pagar as mensalidades.

 

Muitos acreditam que assim que o ente falece, seus dependentes passam a não poder mais usufruir do plano, mas não é bem assim, afinal, muitas empresas contam com o período de remissão em seus contratos, o que pode garantir a tranquilidade por um tempo.

 

Então, pensando em fazer o possível para nos desviar de problemas no momento de luto, precisamos entender o que é e como funciona a remissão.

 

Se está com dúvidas sobre esse assunto, continue lendo e saiba mais sobre esse tópico presente nos convênios de saúde.

 

Como funciona a remissão de plano de saúde?

 

A remissão do plano de saúde é um período que se inicia a partir do momento que o titular do convênio falece e seus dependentes continuam sendo cobertos pelo convênio, sem a necessidade de pagar os valores mensais para a operadora.

 

Quanto dura o período de remissão?

 

A duração do período onde os dependentes do antigo titular do plano contam com a gratuidade depende do contrato que foi assinado, porém, as operadoras geralmente dão um espaço de um ano que, inclusive, em alguns casos pode ser estendido por mais cinco.

 

Remissão de plano de saúde familiar

 

Nos casos onde o titular tenha firmado esse tipo de contrato, o que é comum em muitas famílias que sabem a importância de um plano familiar, todos os dependentes podem usufruir do convênio sem custo, porém, a duração precisa estar explícita no contrato que foi firmado anteriormente pelo ente que se foi.

 

Caso os dependentes optem por seguir com o convênio depois da remissão no plano de saúde, eles terão que escolher quem será o novo titular, que terá um outro contrato e que pagará as mensalidades a partir da assinatura.

 

Porém, é preciso ter cuidado, pois alguns planos podem sofrer reajustes nesse meio tempo, assim, depois do intervalo de remissão, o novo contrato poderá ter valores mais altos do que o pago antes.

 

Remissão de planos coletivos empresariais

 

Uma das vantagens dos planos de saúde empresariais é a de que o convênio é pago pela companhia para ser usufruído por seus colaboradores.

 

No caso, o titular do convênio é a pessoa que possui vínculo trabalhista ou é sócio da instituição.

 

Quando o titular falece, o vínculo trabalhista termina, porém, dependendo do contrato de trabalho dele com a empresa, o benefício pode continuar sendo usufruído por seus dependentes.

 

Inclusive, em casos que exista o interesse de solicitar portabilidade para outro plano de saúde, ele pode ser feito com o abatimento das carências visto que elas já foram cumpridas no antigo contrato.

 

Remissão de planos por adesão

 

Em planos de adesão, ao final do intervalo, o convênio define que os dependentes não podem mais usufruir de seus benefícios.

 

Visto isso, os interessados em solicitar a portabilidade para outros planos de saúde na mesma operadora, também podem iniciá-lo com o período de carência já abatido

 

Uma alternativa a isso seria a de manter o plano, com base na Súmula Normativa nº 21 da ANS, onde os dependentes podem exigir um novo período carência, válido quando mudam de convênio dentro da mesma operadora.

 

Os dependentes precisam manifestar o desejo de continuar com o plano pelo menos 30 dias antes do término do intervalo de remissão e, logo após esse período, devem começar a pagar a mensalidade do novo.

Todos os planos oferecem a remissão?

 

Não exatamente. O período de remissão no plano de saúde depende de cada contrato firmado, por isso, é importante a análise do documento antes de assiná-lo, caso o titular queira que seus dependentes contem com o benefício.

 

Em alguns contratos, as operadoras já incluem essa possibilidade e a remissão já estará inclusa, assim como seu valor, que será pago na mensalidade.

 

Ressaltando, o benefício precisa estar claramente discriminado no documento e você tem  total direito de exigi-lo, afinal, algumas empresas podem incluir a remissão só depois de o titular fazer o pedido.

 

Cancelamento de plano após o período de remissão

 

A operadora não pode cancelar o convênio dos dependentes depois do período de remissão no plano de saúde e, como já dito, deve dar a eles a possibilidade de retornarem a usufruir das mesmas condições, porém, com o valor atualizado.

 

Se o plano de saúde é cancelado assim que o intervalo termina, essa atitude pode ser considerada ilegal e, caso aconteça, os dependentes devem acionar a Justiça na mesma hora.

 

Inclusão de dependentes no período de remissão

 

Durante o intervalo de remissão no plano de saúde, o contrato ainda está em vigência, apenas o pagamento está suspenso

 

Logo, todas as cláusulas do documento ainda estão ativas, incluindo a adição de dependentes, sendo eles cônjuges e filhos nascidos ou adotados.

 

Devo contar com corretoras para ajudar com a remissão no plano de saúde?

 

Após ler nosso artigo, acreditamos que possa ter entendido mais sobre as questões que envolvem a remissão no plano de saúde.

 

O intervalo serve para os dependentes de um titular falecido poderem continuar usufruindo de seu convênio. Ele não é um direito, porém, pode ser exigido em qualquer contrato em qualquer operadora.

 

Mas, em alguns momentos, problemas podem acontecer envolvendo o período de remissão e, por isso, podemos precisar de ajuda extra.

 

Nessas horas, é recomendável contar com uma corretora de planos de saúde, elas podem ajudar bastante e você terá uma garantia maior de que sairá bem da situação, pois está contando com profissionais

 

A STS é uma corretora de convênios de saúde em Santos e pode te ajudar quando o assunto é remissão no plano de saúde, afinal, a empresa atua com as principais operadoras da região. Entre em contato com nossa equipe.